Doutoramento + Prática

Universidade da Beira Interior
Covilhã, Portugal

O Doutoramento em Media Artes surge como corolário das formações do espectro artístico de nível superior, dirigindo-se especialmente aos mestres em Design, Cinema, Artes Visuais, Artes Plásticas e Arquitectura, mas também àqueles que apresentem currículos relevantes nos estudos de Cultura e das Humanidades.

Este programa considera a especificidade epistemológica das Artes, suas metodologias, processos e objectos, enquadrando o desenvolvimento de investigação de base artística (arts-based research), capaz de aprofundar o diálogo entre os domínios conceptuais, tecnológicos e mediáticos da academia, da indústria e da sociedade contemporâneas.

Reconhece a investigação em, sobre e através das Artes como instrumento fundamental para a geração, mediação, mediatização, reflexão e crítica do conhecimento e da cultura pelo que, no actual contexto de crise das taxonomias disciplinares, propõe uma abordagem das problemáticas da intermedialidade e da hibridização do campo artístico, como lastro para o desenvolvimento de teses ou propostas projectuais originais, sobretudo num domínio emergente, que não tem encontrado eco na Universidade Portuguesa.

Curso acreditado por 6 anos


Destinatários

Detentores de habilitação académica em domínios artísticos: Artes Visuais, Design, Cinema, Multimédia, Arquitectura e Artes Performativas.
Docentes, investigadores e criadores, artistas ou profissionais liberais com actividade no sector artístico e cultural.


Competências

O Doutoramento em Media Artes da UBI visa preparar investigadores e artistas com elevadas qualificações teóricas e metodológicas, dotando-os de maturidade analítica, conceptual e crítica e de capacidade operativa no contexto artístico e cultural internacional.

Nesse desiderato, os conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver passam por duas vias alternativas – dissertação ou projecto artístico – com vista a:
a) Aprofundar o conhecimento e promover o pensamento crítico das principais problemáticas da Arte Contemporânea, atendendo à natureza dos objectos e processos artísticos, suas influências e implicações na estruturação da vida intelectual, cultural, social, política e económica;
b) Circunscrever e desenvolver um plano de investigação com vista à disseminação do conhecimento por meio da publicação de artigos ou de projectos, conduzindo à defesa pública de uma dissertação de doutoramento em moldes convencionais ou à criação, exibição e discussão de um projecto artístico, nos termos também previstos na Lei;
c) Capacitar os doutorandos a materializar as suas obras em distintos meios, suportes e contextos, fazendo uso esclarecido do conhecimento obtido e aplicando-o a situações epistemológicas e práticas novas;
d) Concatenar o labor de investigação com a actividade criativa, promovendo o diálogo entre campos artísticos, com vista à reconfiguração e reconhecimento de novas poéticas.


Estruturas de Apoio

A Faculdade de Artes e Letras da UBI dispõe de instalações, bibliotecas, mediatecas e hemerotecas, laboratórios, estúdios e auditórios com equipamentos adequados à prossecução do ciclo de estudos, cuja gestão e manutenção é realizada por técnicos qualificados.

Este doutoramento surge em estreita ligação com a Unidade de Investigação em Comunicação, Filosofia e Humanidades - www.labcom-ifp.ubi.pt –, financiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, em cuja orgânica se integra o Grupo de Artes e Humanidades, com mais de duas dezenas de investigadores doutorados em domínios artísticos, bastante implicados no doutoramento.

Ao nível internacional, o Doutoramento em Media Artes da UBI conta já com um protocolo de cooperação com a Faculdade de Belas Artes da Universidade do País Basco, em Bilbau, que prevê o intercâmbio docentes e doutorandos e tem ainda uma parceria de incidência regional com a ESART do Instituto Politécnico de Castelo Branco.


Saídas Profissionais

A obtenção do grão de Doutor em Media Artes permite o acesso a diferentes lugares de carreira no âmbito público (sistema de ensino, administração pública, etc.) ou privado (empresas, laboratórios de investigação, etc.) para os quais é requerida ou aconselhada esta qualificação académica.

Por outro lado a consecução do curso confere uma série de capacidades de alto nível que permitirão o acesso a postos de trabalho altamente qualificados em diferentes âmbitos de actividade profissional relacionada com as Artes, a criação e a programação artística e as Ciências da Arte.


Media Artes na missão da UBI

A Universidade da Beira Interior tem como missão: “Promover a qualificação de alto nível, a produção, transmissão, crítica e difusão do saber, cultura, ciência e tecnologia, através do estudo, da docência e da investigação”. A esse fim primeiro subordinam-se os demais fins da universidade: “a realização de investigação fundamental e aplicada”, “a prestação de serviços à comunidade”, “o intercâmbio cultural, científico e técnico” e “a cooperação internacional e a aproximação entre os povos”.

O cultivo das artes e das humanidades, desde a formação de base à investigação, não apenas corrobora essa matriz universalista como é parte imprescindível e necessária da moderna ideia de Universidade, pelo que representa no escopo de contribuir para a formação integral do ser humano. Tanto pela filiação clássica como pela permanente procura do novo, as Artes estão intimamente ligadas à experiência do mundo, à sublimação e superação do homem pela cultura e pela civilidade, convocando a constante a dialéctica entre o conhecido, o possível e o desejado. As artes são objecto de conhecimento e veiculam significados essenciais, por isso as ciências da arte estão há muito integradas na Universidade, com um corpus reconhecível que se traduz na orgânica e na oferta formativa dos primeiros e segundos ciclos da UBI. Mais recente é a compreensão de que a significação e a fenomenologia das práticas artísticas é passível de se constituir em objecto de conhecimento transmissível e que os produtos artísticos merecem tanto ser investigados pelo apelo que fazem ao sensível e ao imaginário como podem ser entendidos enquanto resultado formal de indagação, crítica e teoricamente esclarecida.

Por analogia com o que sucede noutros domínios académicos, a investigação em, sobre e para as Artes é uma condição essencial para a prossecução da missão da UBI, nos projectos, linhas e grupos de investigação, em particular da UI Comunicação, Filosofia e Humanidades, e a inserção dessas equipas no contexto académico nacional e internacional, como permite a natural actualização dos métodos e matérias de ensino. É, aliás, nesta simbiose que reside o génio da Universidade.

Neste sentido, o Curso de Doutoramento em Media Artes reveste-se de importância estratégica para a Universidade da Beira Interior, particularmente para a Faculdade de Artes e Letras, fazendo jus à sua designação e como corolário académico das distintas formações existentes nas sub-áreas científicas do Design (7 cursos nos âmbitos do Multimédia, Industrial, Moda e Jogos digitais), do Cinema (2 cursos) e da Arquitectura, articulando-se com o labor do grupo de Artes e Humanidades da Unidade de Investigação Labcom-Ifp em torno das problemáticas da criação artística e da reflexão sobre as Artes e as suas dinâmicas de hibridização, convergência tecnológica e diálogo conceptual. Processo que certamente promoverá a disseminação do conhecimento e a extensão das parcerias com entidades da indústria e do sector cultural.


Comparação com outros Ciclos de Estudo

O Doutoramento em Media Artes oferecido UBI apresenta analogias evidentes nos objectivos, competências e estrutura com outros programas doutorais oferecidos por instituições congéneres no Espaço Europeu de Ensino Superior, encontrando idêntico paralelismo à escala global, que denota uma tendência crescente para integrar a investigação baseada na prática artística, promovendo a interdisciplinaridade e a polinização científica.

Tal qual o programa que propomos, os demais programas, mais ou menos sobre o signo da tecnologia, relacionam as artes visuais com as artes cinemáticas, o design com as artes interactivas, e mesmo a arquitectura com as arte performativas, em trajectórias académicas apoiadas por unidades de investigação que proporcionam o ambiente adequado à aprendizagem por osmose e à constituição de uma comunidade de prática inter e trans-disciplinar.

A consideração da especificidade epistemológica das artes, suas metodologias e objectos, enquadra a investigação de base artística e contribui para aprofundar o diálogo com outros domínios conceptuais, tecnológicos e mediáticos da academia, da indústria e da sociedade contemporâneas, fundamental para a lucidez da actividade criativa.

Os programas mais vanguardistas caracterizam-se também pela mesma natureza dual que a UBI propõe: (1) permitem tanto o desenvolvimento de um projecto como de uma obra, promovendo por um lado o aperfeiçoamento artístico de alto nível e, em alternativa, também (2) acolhem o desenvolvimento de dissertações mais convencionais.

Ambos os percursos se encontram sujeitos a elevados parâmetros de exigência e à necessidade de validação, pelo que apelam ao rigor metodológico e à capacidade analítica, a par da exercitação operativa dos doutorandos, que culminará com a defesa e publicação dos resultados, facto comum à generalidade dos planos de estudos.

Atendendo à diversidade das formações de base dos doutorandos, propõe-se uma abordagem propedêutica a problemáticas das Artes contemporâneas, discutindo as suas implicações na vida cultural, social e política; mas também se promove o diálogo entre artes, meios, suportes e contextos, pelo seu potencial catalisador de novas poéticas.

Os doutoramentos que relacionam a investigação com a criação têm logrado contribuir para a inovação artística e para a acreditação do seu corpus, mas têm um desempenho não dispiciendo na alteração da cultura universitária face à especificidade, à diversidade e alteridade das culturas, permitindo a reelaboração dos parâmetros estéticos e a ampliação da capacidade simbólica e sensível dos sujeitos, contribuindo inclusive para o recentramento das artes nas humanidades, estas entendidas não só como votadas ao estudo do património do passado, mas como capazes de construir futuros.

Assim, em síntese, também este programa visa formar artistas e investigadores capazes de apreender e gerar conhecimento mediante projectos de investigação inovadores, com sentido

Plano de Estudos

Ano Semestre Código Unidade Curricular Área Científica Créditos ECTS
1 S1 13217 — Problemáticas de Arte Contemporânea ARS 15
1 S1 13220
13218
13219
Opção (1/1):
— Teorias da Arte
— Prática Inter-Artes
ARS 15
1 S2 13221 — Metodologias de Investigação em Artes ARS 15
1 S2 13224
13222
13223
Opção (1/2):
— Arte e Cultura
— Práticas Inter-Media
ARS 15
2 A1 13225 — Tese/Projeto ARS 45
2 A1 13226 — Seminário ARS 15
3 A1 13227 — Tese/Projeto ARS 60

6 semestres (180 ECTS)
http://www.ubi.pt/PlanoDeEstudos/1069#2017

Docentes

(Brevemente)

Candidatura

Podem candidatar-se ao ciclo de estudos conducente ao grau de Doutor em Media Artes:
a) Titulares de grau de mestre ou equivalente legal em áreas artísticas, das humanidades e outras áreas afins;
b) Titulares de grau de licenciado ou equivalente legal, detentores de um currículo académico, artístico e/ou científico reconhecido pela Comissão Científica do Curso;
c) Excepcionalmente, os detentores de um currículo artístico e/ou profissional idóneo, que ateste a capacidade para a realização deste ciclo de estudos.


— Candidaturas

Módulos

27 Outubro

Sara Velez, UBI
O entre nas práticas artísticas e a especulação crítica. Jogar contra o aparelho.

Catarina Moura, UBI
Do objecto à experiência. A mobilização do corpo e do mundo.

Francisco Paiva, UBI
Media-Artes: 1. circunscrição de um campo. 2. Simulação e intermedialidade

3 Novembro

Rita Ochoa, UBI
As diferentes práticas artísticas como desenho da cidade

Catarina Moura, UBI
O "aparelhamento" da criação e da sensibilidade.

Manuela Penafria, UBI
Imagem óptica e imagem háptica: paradigmas da visualidade na criação e recepção de imagens

10 Novembro

Luís Nogueira, UBI
Peter Greenaway e a obra de arte total

José Bártolo, ESAD
Crítica e Ficção (na perspectiva da arte e do design)

Paulo Cunha, UBI
Pós-Cinemas
Arte no espaço público - O Multimédia como incremento do espaço e expressão arquitectónica

17 Novembro

Tito Cardoso e Cunha
Crónica de uma morte anunciada: o autor na arte contemporânea.

Fátima Chinita, IPL
Intermedialidade: O cinema e as outras artes: uma simbiose reedificada.

24 Novembro

Rita Sixto, UPV, ES
Arte e tempo: instante e duração. A memória e o arquivo

15 Dezembro

Michelle Sales, UFRJ, BR (Org. Paulo Cunha)
Transmídia: Arte, Mídia e Tecnologia no Brasil

5 Janeiro

Luís Herberto, UBI
"..."

Mariana Pinto dos Santos, FCG
Curadoria da exposição “José de Almada Negreiros, uma maneira de ser moderno”

José Rosa, UBI
Origem e funções da Arte

12 Janeiro

Júlio Londrim, UBI
Arte no espaço público - O Multimédia como incremento do espaço e expressão arquitectónica

Maria do Carmo Mendes, UBI
Entre a ordem e o caos: arte e a dessacralização do mito contemporâneo

José Domingues, UBI
"..."

Contactos


Universidade da Beira Interior
Rua Marquês D'Ávila e Bolama
6201-001 Covilhã
Covilhã Portugal
Tel.: 00 351 275 319 700
Fax: 00 351 275 329 183

Departamento de Comunicação e Artes
Tel.: 00 351 275 242 024

email
media-artes@labcom.ubi.pt